Descupinização RJ

Conheça o serviço de descupinização no Rio de Janeiro

 

Descupinização RJ

Não podemos falar de descupinização sem falar da biologia dos cupins.

Os conhecidos como cupins de madeira seca (gênero Cryptotermes), são facilmente reconhecidos em nossas residências por aquele “pozinho”, neste caso na verdade grânulos, que jogam fora por orifícios que fazem no madeiramento infestado. Cabe ressaltar que há outros insetos xilófagos, cujas larvas que possuem o mesmo hábito, mas o tratamento deles é similar ao do Cryptotermes. Para o tratamento deste cupim, é necessário injetar solução cupinicida nas câmaras e canalículos que ele criou e habita no madeiramento.

Apesar da infestação deste cupim estar limitada a peça de madeira infestada (ou aquelas diretamente em contato com ela), nem todas as câmaras e canalículos estão ligados entre si, sendo também que uma única peça de madeira pode abrigar varias rainhas, e assim, vários cupinzeiros, considerando- se como tal, cada cripta em que haja um casal reprodutor. Baseado no supracitado, é frequentemente necessária a execução de perfurações extras ao longo do madeiramento, para dar a certeza que todos os pontos de infestação foram tratados.

Também devemos ressaltar que, diante de algumas características construtivas de alguns moveis e portas, não temos acesso a todas as faces da madeira. Portas “ocas” e sofás estofados são um bom exemplo disso. Mesmo que as partes acessíveis sejam bem tratadas, a chance de não atingir todos os pontos de infestação é alta demais, impedindo que se de uma garantia ao serviço. Algumas peças podem ser desmontadas e/ou reestudadas para o tratamento, mas frequentemente o custo da mão de obra somado ao custo da descupinização é alto demais, sendo o mais indicado a substituição das mesmas.

A biologia de outros cupins difere radicalmente do Cupim de Madeira Seca (gênero Cryptotermes). Os térmitas conhecidos como cupins de características solo/estruturais (exemplos comuns são os gêneros Coptotermes, Nasutitermes e Heterotermes), não estão limitados a peça de madeira, e seu tratamento é muito mais complexo.

Os cupins solo/estruturais fazem seus cupinzeiros normalmente no solo, em árvores ou até mesmo dentro de vãos das edificações do imóvel. Partindo de lá, eles constroem as características “trilhas” para seu transito até o madeiramento que consumirão. Estes cupins são capazes de abrir caminho pela alvenaria, e possuem a capacidade de causar destruição muito mais rápido que os cupins de madeira seca.

O tratamento convencional para cupins de características solo/estruturais é somente pontual. Entretanto, este procedimento costuma afetar apenas os cupins operários no local, raramente chegando a afetar o cupinzeiro, normalmente a metros de distancia. O produto inseticida neste caso é eficiente para prevenir mais danos neste ponto especifico, pois os cupins o evitaram por alguns meses, mas como o cupinzeiro e sua rainha estão protegidos, é uma questão de pouco tempo até este ou outro ponto volte a ser destruído pelos térmitas.

Os tratamentos mais recentes envolvem iscas com produto inseticida, que não matam instantaneamente os cupins operários. Sendo assim, eles levam o produto ativo para seus ninhos, e ao chegar a uma dose critica, o cupinzeiro inteiro irá falir. Esta iscagem é parte integrante de um bom controle de térmitas e, com algumas ressalvas, pode ser associada ao tratamento convencional para evitar os danos em curto prazo em alguns madeiramentos específicos até que a infestação seja controlada.

Temos que ressaltar no entanto, que todos estes cupins são extremamente abundantes em nossa região, tão cheia de matas, e que nossas construções tem muitas características, como vãos oclusos, umidade e madeiras residuais de obras, que favorecem sobremaneira a instalação e disseminação de cupinzeiros. Sendo assim, para o controle de térmitas “ideal”, é necessário o monitoramento constante dos pontos propícios a infestação, para que se possa mitigar as chances de danos ao seu patrimônio.

 

Desratização

Por se tratar de uma pratica executada desde as antiguidades, o controle de roedores ainda tende a ser tratado como algo “caseiro”. O uso indiscriminado de agrotóxicos, como o chumbinho, não só trazem risco ao seu lar, como também costumam não trazer os resultados desejados. VEJA+

 

Desinsetização

O termo dedetização é utilizado genericamente para a designação do combate a animais sinantrópicos, que engloba dentre muitos outros as ratos, baratas, carrapatos, lacrais, pulga, aranhas. Este nome surgiu baseado no DDT (sigla de Dicloro-Difenil-Tricloroetano), que foi o primeiro pesticida moderno utilizado em larga escala. VEJA+

 

Dedetização

Os municípios de Niterói e São Gonçalo estão em franca expansão. A cidade de Niterói é um dos principais centros financeiros, comerciais e industriais do Rio de Janeiro, e São Gonçalo já é o segundo município mais populoso do Estado (16° do País). Neste estagio do processo de desenvolvimento, em relação à infestações, os municípios tendem à estar sujeitos tanto aos efeitos da vegetação nativa que vem sendo substituída, quanto a ação da urbanização. VEJA+